Aydano André Motta diz que Marcelo Cirino é uma “roubada” na mão do Flamengo

Sob a confiança do técnico Muricy Ramalho, Marcelo Cirino se prepara para dar a volta por cima no Flamengo e recuperar o seu futebol que marcou sua passagem pelo Atlético-PR. Após terminar o ano passado em baixa e na lista dos negociáveis, o atacante ganha uma nova chance com o treinador e tem até se destacado em treinos táticos na pré-temporada realizada em Mangaratiba, no Rio de Janeiro. Os comentaristas do “Seleção SporTV”, no entanto, se mostraram céticos quanto à evolução do jogador. Na visão do jornalista Aydano André Motta, do jornal “O Globo”, ele se tornou uma “roubada” no elenco rubro-negro.

– O Marcelo Cirino é uma roubada na mão do Flamengo, porque ele é caro demais. Uma coisa emprestada. O do Atlético-PR, ótimo jogador, o Brasil inteiro queria. O Flamengo conseguiu, ele chegou aqui e desmoronou nas tentações do Rio de Janeiro. O negócio do bonde e tal. O Muricy garante que consegue recuperar ele.

Cirino foi um dos envolvidos no episódio de indisciplina que marcou o segundo semestre no Flamengo. Ele e mais quatro atletas foram vistos em uma foto em uma suposta festa próximo ao centro de treinamento do Ninho do Urubu. O caso rendeu um afastamento temporário dos gramados dos atletas flagrados. Em outubro, passou por uma cirurgia de artroscopia por causa de uma lesão no joelho direito.
O apresentador Marcelo Barreto recordou que Cirino já estava em baixa em seu último ano com a camisa do Atlético-PR, antes de se transferir para o Fla.

– Marcelo Cirino já tinha tido uma temporada pior no Atlético-PR antes de chegar ao Flamengo. Pior que as anteriores. Não é um jogador que veio em um crescente. Ele teve uma fase muito boa, mas na temporada anterior à ida ao Flamengo, foi de declínio técnico. Aí no Flamengo desandou.

Para a atual temporada e com o crédito depositado por Muricy, Cirino foi submetido a um intenso trabalho de recuperação física. O acompanhamento psicológico também tem sido importante. O atacante tem contrato com o Flamengo até dezembro de 2017. O clube gastou R$ 16,5 milhões para comprar 50% dos seus direitos econômicos.

Fonte: Globo esporte