Maracanã dá ultimato ao governo, demite diretores e não deve fazer obra olímpica

A concessionária do Maracanã vive seus últimos dias à frente da administração do estádio. Uma nova leva de demissões ocorreu nesta segunda-feira e incluiu alguns dos principais diretores da empresa, como Marcelo Frazão, do marketing. A situação é crítica. Sem avanço nas negociações com o governo para reequilibrar o contrato, o estádio deverá ser entregue no início de fevereiro para o Comitê Rio 2016 e, ao que tudo indica, não voltará para a gestão da concessionária.

Foi dado um ultimato ao governo do Estado: ou as cláusulas propostas pela concessionária são aceitas ou a arena será devolvida sem as obras para as Olimpíadas, o que deve trazer problemas uma vez que dificilmente o governo terá tempo de licitar novamente a reforma acordada com a organização dos Jogos. Nos últimos dias de 2015, fornecedores e arrendatários de espaços comerciais no Maracanã foram avisados para retirar até 29 de dezembro todos os materiais do local.

Fonte: BASTIDORES FC (GLOBO)