Arena de basquete do Flamengo passa no teste de impacto no trânsito

O Flamengo saiu de uma reunião na prefeitura esta semana com as plantas de estudo de impacto de trânsito na Lagoa, enfim, aprovadas pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-Rio).

Com isso, a Arena multiuso do clube na Gávea, a ser construída no espaço onde funcionava, há trinta anos, um posto de gasolina, começa a deixar de ser apenas um projeto a partir do segundo semestre.

A informação é do secretário municipal de Esportes e Lazer, Marcos Braz, que participou da reunião com representantes do Flamengo, entre eles o vice-presidente de esportes olímpicos, Alexandre Póvoa.

O clube rubro-negro confirmou a informação, mas ressaltou que ainda levará as plantas ao Corpo de Bombeiros e secretaria de Urbanismo.

A CET-Rio já tinha concordado com a aprovação do projeto, mas não havia homologado as plantas, o que é essencial para o rubro-negro obter as licenças de urbanismo e do Bombeiros.

– Este era o último obstáculo. As plantas foram aprovadas, carimbadas com a chancela da CET-Rio e a arena está liberada, e também a loja de conveniência. Com elas em mãos, o Flamengo pode dar início às obras – garantiu Braz.

Bancada por uma rede multinacional de fast-food, a arena terá um espaço anexo para a entrega de alimentos (drive-thru) da cadeia de lanchonetes, o que poderia atrapalhar ainda mais o já complicado trânsito nos arredores da Gávea.

– Foi feito um estudo mais atual, deste ano, com um software que simula o tráfego atual, levando em conta as ruas próximas, o (Hospital) Miguel Couto, o Jockey e um cinema. Tudo foi aprovado – disse Braz.

Fonte: O Globo