Corintianos que brigaram no Maracanã continuam presos no Rio

Parte dos torcedores do Corinthians que foram presos após se envolverem em uma briga com policiais militaresnas arquibancadas do Maracanã durante o empate em 2 a 2 entre Flamengo e Corinthians continuam detidos no Rio de Janeiro. De acordo com a polícia, 31 corintianos foram autuados em flagrante pelos crimes de lesão corporal, dano qualificado, resistência qualificada, por promover tumulto em eventos esportivos e associação criminosa. Os corintianos passarão por uma audiência de custódia no começo da tarde. Outros 11 torcedores precisarão assinar um termo circunstanciado para serem liberados.

Dentre o total de 64 corintianos detidos, 22 foram dispensados. Parte deles saiu ainda na madrugada. Outros foram embora na manhã desta segunda-feira.

Os corintianos passaram a noite após o clássico na Cidade da Polícia, na Zona Norte do Rio de Janeiro. Todas as imagens da briga foram analisadas pelos policiais para identificar quem participou ou não da confusão.

A confusão começou quando os corintianos tentaram invadir o setor da torcida do Flamengo e partiram para cima dos policiais que protegiam a grade que separava as torcidas. A polícia precisou usar gás de pimenta e cassetetes para conter os torcedores, que chegaram a derrubar uma das grades de proteção do estádio.

Por causa da confusão, os dois times correm o risco de sofrer uma punição junto ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). O árbitro Anderson Daronco citou na súmula da partida a briga entre corintianos e PMs.

“Antes do início da partida, no aquecimento dos árbitros no gramado, às 16h30, houve uma briga generalizada no espaço reservado para a torcida visitante, no setor sul rampa b, envolvendo alguns torcedores do SC Corinthians com a polícia local. Cabe salientar que durante o jogo, nada houve de anormal”, diz um trecho da súmula.

FLA NÃO TEME PUNIÇÃO

O presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, garantiu não temer uma punição ao clube, como a perda do direito de jogar as próximas partidas no estádio. O Flamengo ainda pretende mandar no Maracanã os jogos contra Botafogo, Coritiba e Santos.

– Acho que não (há risco), porque o policiamento agiu com presteza. É triste ver um policial que está trabalhando ser covardemente agredido como foi – disse.

O Corinthians, porém, discorda da presteza da polícia. Em nota divulgada na noite de domingo, o clube paulista disse que os policiais tiveram uma “atitude covarde” com a torcida corintiana.

Leia a íntegra da nota:

“O Sport Club Corinthians Paulista repudia a atitude covarde tomada pela Polícia Militar do Rio de Janeiro após o jogo da tarde deste domingo (23) contra a equipe do Flamengo.

“A fim de capturar 40 torcedores que supostamente se envolveram em briga com policiais, a PM aprisionou 3 mil torcedores do Corinthians no Estádio do Maracanã, fez com que todos eles tirassem a camisa e está liberando a saída de cinco em cinco pessoas.

“É inaceitável que uma briga aconteça dentro do estádio entre alguns torcedores e a Polícia e a mesma não tenha capacidade de prender em flagrante os envolvidos, fazendo com que todos os outros corinthianos que lá estejam sejam agredidos como cidadãos.

“A segurança dentro dos estádios já não está boa há muito tempo. Esta ação covarde e despreparada da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro é mais um triste episódio. A barbaridade cometida esta noite precisa ser avaliada pelas autoridades públicas competentes, a fim de que as pertinentes punições não se restrinjam aos torcedores envolvidos na briga.

“O Corinthians exige uma atitude urgente do Secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro para punir o descalabro perpetrado esta tarde por policiais militares no estádio do Maracanã”.

Fonte: O Globo