Amigo de vítimas da Chape, Rafael Vaz diz que domingo será duro para atletas

O Flamengo encerra o Campeonato Brasileiro diante do Atlético-PR, neste domingo, às 17h (de Brasília), pela 38ª rodada. Mesmo não estando em campo, por causa de uma luxação na clavícula esquerda, o zagueiro Rafael Vaz disse que será um momento difícil para todos os jogadores em função do clima de luto pela morte de quase todo o elenco da Chapecoense, na semana passada, em um desastre de avião. O defensor rubro-negro era amigo de Kempes e Ananias, duas das 71 vítimas da tragédia.

– A gente sabe que foi uma grande tragédia, mexeu com o futebol brasileiro, com o mundo inteiro, e com a população em geral. Domingo vão ter muitas emoções, pessoas homenageando a delegação da Chapecoense e todo mundo que estava naquele voo. Sei que vai ser difícil para os meus companheiros entrar naquele jogo, viajar, porque jogador viaja bastante. Ainda mais quando perdemos muitos amigos, não é fácil – disse.

Apesar do desfecho triste da temporada, Rafael destacou que o Flamengo termina o ano com um saldo positivo. O Rubro-Negro precisa vencer o Furacão para ser vice-campeão do Brasileirão e já tem uma vaga direta na Libertadores garantida. O zagueiro destacou ainda que pretende seguir no clube da Gávea, já que possui contrato até 2018 e deseja ser campeão com a equipe.

– Tenho contrato até 2018, estou muito feliz aqui. Não somente meus companheiros, mas a diretoria me acolheu muito bem. Não pretendo sair. Claro que isso meu empresário resolve com a diretoria. Mas se depender de mim, eu quero ficar, quero conquistar títulos com o Flamengo.

Vaz ainda lembrou que chegou ao Flamengo sob desconfiança, já que defendia o Vasco anteriormente e havia sido o autor do gol que deu o título carioca ao Cruz-maltino no início do ano.

– Foi um momento delicado porque eu vinha de uma equipe que é a maior rival da que estou hoje, o Flamengo. Sabia da responsabilidade e da desconfiança que todo mundo teria sobre mim. Mas não posso deixar de agradecer ao Flamengo e aproveitar a oportunidade de vestir essa camisa que é um gigantesco do mundo – disse.

O Flamengo termina o ano entre os quatro times com a zaga menos vazada do Brasileirão. Vaz deixou claro sua felicidade de ser titular ao lado de Réver, seu amigo, no setor defensivo, mas admitiu que a equipe poderia ter ido melhor em momentos chaves da competição.

– Falar do Réver é difícil, porque quando falamos de um amigo que joga contigo e amigo fora de campo, tem que tomar cuidado. Mas graças a Deus estamos muito bem, felizes pelo ano que fizemos. Claro que sabemos que deixamos um pouco a desejar. Podíamos ter feito algumas partidas perfeitas para ajudar o Flamengo, mas acho que fomos bastante satisfatórios.

Fonte: Globo Esporte