Fla ameaça não jogar no Maracanã se “entidades hostis” assumirem o palco

O Flamengo voltou a bater forte no Governo do Estado do Rio de Janeiro em relação ao futuro do Maracanã. Em nova nota oficial divulgada, o Rubro-Negro reiterou o desejo de que ocorra nova licitação. De quebra, ameaçou não jogar no estádio dependendo de quem passar a administrar o palco.

O temor rubro-negro é que a LU Arenas (Largardère/BWA) assuma a gestão do Maracanã. De acordo com o Flamengo, as empresas “não possuem capacidade de cumprir o item do edital que trata do capital mínimo exigido do concessionário”. O clube carioca ainda cita más administrações da parceria à frente do Castelão e do Independência.

– O Flamengo reitera que não jogará no Maracanã caso o estádio venha a ser gerido por entidades hostis ao clube e incompatíveis com nossos princípios. Como informado anteriormente, o Flamengo acredita que uma nova licitação é o melhor caminho para a gestão do Maracanã, embora admita a hipótese de firmar uma parceria com os novos concessionários no caso de transferência, caso a negociação se dê com empresas idôneas e num processo transparente e republicano – diz um trecho da nota do Flamengo.

O clube rubro-negro, assim como o Fluminense, prefere que o grupo inglês CSM passe a gerir o estádio. O consórcio da Oderbrecht, que assumiu a gestão do Maracanã em 2013, pediu a rescisão do contrato

Em meio ao impasse em relação ao Maracanã, o Flamengo começa a projetar sua temporada na Arena da Ilha, estádio que mandará jogos em 2017. A diretoria estuda três projetos de modelagem da arquibancada e quer adotar estilo mais próximo de caldeirão.

Fonte: Globo Esporte