Fla avança na disputa por Marinho, e reunião com Vitória deve selar saída

Flamengo e Marinho estão mais próximos de um final feliz. Em negociação sigilosa, que começou ainda em outubro, o Rubro-Negro carioca avançou nas tratativas para contratar o jogador do Vitória. Nos bastidores, a confiança do Flamengo é que o jogador seja mais uma contratação para a temporada de 2017. O empresário do jogador Jorge Machado admitiu que a negociação está adiantada. E disse mais.

– Se ele ficar no Brasil, a preferência dele é jogar no Flamengo – disse o agente de Marinho.

Com bom trânsito na Gávea, Machado acredita que a negociação vai avançar nos próximos dias. No início da semana que vem ele vai para Salvador se reunir com os dirigentes do Vitória e apresentar a proposta do Flamengo. Havia chance de Marcelo Cirino ser envolvido na negociação, mas o clube baiano recusou o nome do atacante do Flamengo. Em contato com o Globo Esporte, o diretor de futebol do Flamengo, Rodrigo Caetano, não quis dar detalhes e nem confirmar o avanço da negociação. Machado, no entanto, adiantou as boas chances de o jogador defender o Flamengo em 2017.

– Todo processo do Marinho com o Flamengo está dependendo de uma reunião com a diretoria do Vitória entre segunda e terça-feira. Marinho está comigo em Porto Alegre, está descansando. A expectativa é que consigamos resolver o mais rápido possível. Devo viajar na segunda ou na terça-feira para a Bahia. Existe, sim, uma conversa bem adiantada com o Flamengo porque tenho uma relação com o Rodrigo (Caetano, executivo do Flamengo). Vai depender muito do Vitória e da operação financeira que tem de ser feita – disse Machado.

A multa contratual é de 5 milhões de euros (R$ 17 milhões), mas o Rubro-Negro carioca quer comprar 50% dos direitos econômicos do jogador – 30% é do Cruzeiro, 20% da JMB (empresa de Jorge Machado e Bismarck). Há interesse de outros clubes brasileiros e de fora do país na contratação do jogador.

– Não tem páreo. Por mais que exista interesse de outros clubes do Brasil, não existe outra situação como estamos com o Flamengo. A coisa se direcionou. Há possibilidades do exterior, mas tudo é especulação. Se ele ficar no Brasil, a preferência dele é jogar no Flamengo. É o desejo dele, mas o Marinho não é dono do passe dele, nem eu sou. A vontade não tem ingerência no rumo da negociação. O Vitória é o dono do passe dele, ele tem mais dois anos de contrato. Tenho reunião marcada com a nova diretoria, ainda nem os conheci pessoalmente, mas me trataram muito bem. Temos que ter tranquilidade e saber que o Marinho não foi vendido para China, Japão, Erechim ou Getúlio Vargas aqui perto… Não foi vendido para ninguém – afirmou.

Fonte: Globo Esporte