Flamengo tem menos lesões no ano, e Atlético-PR é o “líder”

Entre os 20 clubes que disputaram o Brasileirão 2016, o Flamengo foi o time que menos perdeu atletas para o Departamento Médico durante o ano, segundo pesquisa feita pelo Globo Esporte. O levantamento apontou que, de janeiro a dezembro, 17 jogadores diferentes foram parar no DM do clube por 22 vezes. Em seguida, Fluminense e Ponte Preta fecham o Top 3 com 29 e 32 registros de atletas na parte médica dos clubes em 2016, respectivamente.

O chefe do Departamento Médico do Flamengo, Márcio Tannure, relatou que o sucesso do clube com as poucas lesões no ano foi fruto de um trabalho multidisciplinar, de todos os setores do futebol, comissão técnica e Departamento Médico.

– A fisioterapia faz um trabalho preventivo que soma para o trabalho da preparação física, e conseguimos fazer o controle de carga dos treinos, que é de suma importância a fim de que não façamos esforços nem para mais, nem para menos, e consigamos evitar lesões durante os treinamentos. Lógico que há as lesões traumáticas, que são inerentes a um esporte de contato como o futebol. E estas não têm relação com o controle de carga, não temos como prevenir, mas mesmo assim conseguimos diminuí-las por conta do nosso trabalho preventivo realizado desde a pré-temporada, com exercícios individualizados focados na qualidade e na correção dos movimentos de cada um.

Já o Furacão foi o time que mais sofreu com o veto clínico de jogadores durante a temporada. Em 68 oportunidades, o técnico teve que buscar alternativas para substituir os vetados do DM. Entramos em contato com a assessoria do Atlético-PR, mas não obtivemos resposta até o fechamento desta matéria.
Vale destacar que, para esta pesquisa, qualquer quadro clínico que tenha sido motivo de veto de algum jogador de alguma partida entrou no levantamento. Com isso, uma virose ou uma dor muscular em algum membro do corpo, que tenha impedido um jogador de atuar em uma partida, entrou como um dado para esta investigação.

Um caso surpreendente quanto aos outros motivos que vetaram atletas de partidas durante o ano foi sobre os casos de caxumba na temporada. Grêmio, Santa Cruz, Santos e São Paulo sofreram com o “surto” da doença durante o ano. Entre março e abril, o Grêmio teve que recuperar quatro atletas que pegaram o vírus da caxumba: Luan, Henrique Almeida, Ramiro e Pedro Geromel.

Outro fato curioso foi o único afastamento de jogador por problema no glúteo no ano. O veterano Grafite, do rebaixado Santa Cruz, sofreu um hematoma na região do glúteo em março e ficou afastado por cerca de dez dias.

Confira a lista completa dos locais das lesões por clube: